Entendendo suicídio…


Esta semana soubemos de duas tristes notícias de suicídio, o apresentador e chef Anthony Bourdain e a estilista Kate Spade.

Acho que a notícia choca pois eram duas pessoas extremamente bem sucedidas e com trabalhos que parecem mais descrições do sonho ideal de vida.

Anthony viajava o mundo apreciando a boa culinária, acompanhado de pessoas incríveis como Barack Obama, saibam mais sobre ele no Hypeness. E Kate era uma estilista reinando pelo mundo com uma marca de bolsas coloridas e quadradinhas que leva o seu nome, uma heroína para uma geração Diabo Veste Prada.

Nas matérias que li, não foi revelado uma razão especifica, no caso da Kate alguns comentaram que a causa era o divórcio, mas o que entendi é que talvez não tenha uma causa específica, o sofrimento é individual e só a pessoa é que sabe o tamanho da dor.

Algumas situações podem até aumentar a vulnerabilidade, como perda de emprego, discriminação, agressões psicológicas, sofrimento no trabalho etc.

Mas mesmo assim, acredito que é difícil entender a dimensão das razões que levam a pessoa a pensar em acabar com a própria vida.

Não sou especialista, mas fui atrás de algumas informações de como identificar e como prevenir.

Então vamos lá, encontrei este material na CVV e as informações abaixo foram retiradas deste folheto.

O que é suicídio?

O suicídio é um fenômeno complexo que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Mas o suicídio pode ser prevenido. Saber reconhecer os sinais de alerta em si mesmo ou em alguém próximo a você pode ser o primeiro e mais importante passo.

Sinais de alerta?

Um dos falsos mitos sociais em torno do suicídio é que a pessoa que tem intenção de tirar a própria vida não avisa, não fala sobre isso. Entretanto, sabemos que isso não é verdade e que devemos considerar seriamente todos os sinais de alerta que podem indicar que a pessoa está pensando em suicídio.

DIANTE DE UMA PESSOA SOB RISCO DE SUICÍDIO, O QUE SE DEVE FAZER:

  • Encontre um momento apropriado e um lugar calmo para falar sobre suicídio com essa pessoa. Deixe-a saber que você está lá para ouvir, ouça-a com a mente aberta e ofereça seu apoio.
  • Incentive a pessoa a procurar ajuda de um profissional, como um médico, profissional de saúde mental, conselheiro ou assistente social. Ofereça-se para acompanhá-la a uma consulta.
  • Se você acha que essa pessoa está em perigo imediato, não a deixe sozinha. Procure ajuda de profissionais de serviços de emergência, um serviço telefônico de atendimentos a crises, um profissional de saúde, ou consulte algum familiar dessa pessoa.
  • Se a pessoa que com quem você está preocupado (a) vive com você, assegure-se de que ele (a) não tenha acesso a meios para provocar a própria morte (por exemplo, pesticidas, armas de fogo ou medicamentos) em casa.
  • Fique em contato para acompanhar como a pessoa está passando e o que está fazendo.

Importante! Onde buscar ajuda:

Serviços de saúde CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde).

Centro de Valorização da Vida – CVV Telefone: 141 (ligação paga) ou http://www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais informações sobre ligação gratuita.

Emergência SAMU 192, UPA, Pronto Socorro e Hospitais

Fica a minha homenagem a Kate e Anthony.

E espero que este post ajude vocês!

bjos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s